Atualização Cadastral App Store Google Play facebook twitter youtube

Artigos

 

Momentos que mudam uma história

Publicado em: 05/04/2019 por CBN-SP

Momentos que mudam uma história.

INTRODUÇÃO
Pequenos detalhes mudam a vida. Pequenos momentos mudam uma história. Desde um beijo do esposo em sua esposa, que a muito tempo não fazia tal atitude, sem saber que tinha magoado sua esposa. Apenas com um pequeno gesto sincero a alegria volta a ser presente entre eles. Um elogio de um pai, uma palavra de amigo, a atitude de uma pessoa, o conselho de um irmão é capaz de levar novamente aos corações desgastados pelas dores e amarguras de suas vidas rotineiras, a superação de suas dores alojadas há semanas, meses e anos. Os que desprezam os pequenos acontecimentos nunca farão grandes descobertas. Pequenos momentos mudam a vida
de pessoas. Foi isso que aconteceu com a vida de homens que moravam na beira da praia. Suas vidas nunca mais foram às mesmas. Um convite fez com que eles repensassem as suas existências.

ELUCIDAÇÃO
João Batista fora o precursor do Senhor. Ele chamou as pessoas ao arrependimento pois o Reino de Deus estava próximo (Mt 3.2). Um homem um tanto estranho fala com uma convicção admirável de uma pessoa que nem ele mesmo havia ainda conhecido. Pregavam com eloqüência e arriscava a própria vida para que sua mensagem alcançasse a todos seus ouvintes. Atônitas as pessoas pintavam em suas mentes o quadro dessa figura imaginária. Visualizavam um homem cheio de riquezas, cavalaria, de um grande reinado, e roupas reais (Mt.3.11). De repente em meio a multidão surge um homem que assim como eles pede licença para passar e ir ao encontro de João Batista para ser batizado. Naquele momento o espírito de Deus mostra a João o homem a quem ele tanto sonhava e esperava (Mt.3.16-17). Perturbados, todos ficam abismados com a figura simples e humilde do filho de carpinteiro. Decepcionadas cada uma tomam novamente a rotina de suas vidas.
Estes homens (Pedro, André, Tiago e João) recebem um convite perturbador para mudar todas as estruturas de suas vidas e lhes trazerem um novo caminho.

ESBOÇO:

1. PORQUE SE ARRISCAR A SEGUI-LO?
O que teria feito quatro jovens pescadores arriscarem suas vidas em uma nova caminhada? A vida de um pescador é construída lado a lado com o mar.
Sua personalidade é construída sobre as ondas. Crescem vendo a profissão de seus pais,ansiando o momento de irem também para o alto mar. Simples, vivem uma vida regrada sem muitos sonhos. Vidas engessadas pela monotonia de uma profissão patriarcal. No entanto o tempo passa. As lutas são maiores, enfrentam o mar bravio com rajadas de vento frios e ondas para pescarem o melhor, no entanto ao lançarem a rede ao mar, nada colhem, pois não há peixes. A vida passa a ser uma rotina sem perspectiva nenhuma de futuro. Desejam fazer algo mais significativo em suas vidas. Querem mudar de vida mais tem medo de arriscarem, pois afinal de contas é melhor ter pouco do que nada, pensavam eles. Estes homens ouviram falar das pregações de João Batista, mas estavam ocupados de mais com as suas próprias sobrevivências. Em um dia comum como qualquer um outro de suas vidas, os dois irmão Pedro e André, avistaram de longe um homem diferente que vinham pela praia. Quando de repente esse homem se aproxima silenciosamente e quebra o silencio com uma proposta absurda: “Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens”. (Mt.4.19). Logo mais a frente ele faz o mesmo convite a outro dois irmão Tiago e João que estavam com seu pai Zebedeu a consertar um rede de pescar. E da mesma forma eles atenderam ao convite. Naquele momento as palavras de Jesus não foram apenas simples como também determinantes na vida daqueles
pescadores. Ali estava diante deles uma nova possibilidade de vida e uma nova perspectiva de futuro. Arriscaram aceitar o convite, pois questionaram sua existência e analisaram pelo que eles estavam lutando. Não queria viver preso a esta rotina e apenas sobreviverem. A rotina tinha afogado seus sonhos e as palavras de Jesus foram vida para eles. Tomaram um passo ousado diante do convite do Mestre.

2. A VIDA É UM RISCO
Por que o medo de arriscar a mudar? Se pararmos para pensar basta estarmos vivos para corrermos riscos! Riscos de acidentar-se, de ser rejeitado, de ser mau interpretado, de ser julgado injustamente, ferido, machucado na alma e de morrer. Por que não arriscar a mudar de vida? Quem achar que ficar preso em sua rotina de vida com medo dos riscos da vida, além de nunca encará-los e eliminá-los, ficaram para sempre frustrados. Ex: Casulo da borboleta e da águia.
Os jovens Pedro, André, Tiago e João foram corajosos atendendo ao convite do Senhor. Suas mentes foram abertas a uma nova vida. Analisemos o convite do Senhor: “Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens”. (Mt.4.19), o andar com Cristo levaria aqueles bons conhecedores do mar à navegarem o mundo, com a missão de pescar homens. Não sabiam como seria esse projeto proposto por Jesus, nem o que comeriam, ou onde dormiriam, só não conseguiam mais se ver sem a presença dele.Arriscar-se para Cristo é lucro para você! Você pode esta arriscando sua vida em tantas coisas como em sentimentos, finanças, amizades, e porque não arriscar em andar com o Senhor?!!

3. JESUS SE ARRISCOU AO ESCOLHÊ-LO?
Quem foi mais audacioso: eles em escolherem Jesus ou Jesus em escolhê-los? O risco maior nunca foi o seu, mas o do Mestre. Para entendermos melhor o sério risco que o Senhor enfrentou em escolher estes homens vejamos um pouco de quem era cada um:

– Mateus: Tinha péssima reputação. Era cobrador de impostos, um publicano, os judeus o odiava por trabalhar para o Império Romano, por ser um coletor era famoso pela corrupção. Era uma pessoa sociável, gostava de festas e provavelmente usava dinheiro publico para promovê-las.
– Tomé: Era inseguro, rápido para pensar e rápido para desacreditar. Era lógico e insensível.
– Pedro: era forte, determinado e sincero. Porém, era iletrado, intolerante, irritado, agressivo, impaciente, não suportava ser contrariado.
Hiperativo e intensamente ansioso.
– João: era o mais jovem, amável, prestativo e altruísta. Porém era ambicioso, irritado, intolerante. Desejava a melhor posição entre os discípulos.
Jesus chamou a ele e seu irmão Tiago de Boanerges, que quer dizer “filhos do Trovão”, pois quando confrontados reagem agressivamente. Sua mãe pediu para Jesus que ele e Tiago assentar-se ao seu lado no céus, João pediu a Jesus para queimar com fogo os que não seguiam a Jesus, e muito mais.
– Judas Iscariotes: Era moderado, discreto, equilibrado e sensato. Não temos nenhum elemento que o caracterize uma pessoa tensa, ansiosa e inquieta. Lidava
com a contabilidade do grupo. Era um zelote, logo tinha uma refinada cultura. Provavelmente o mais polido e preparado dos discípulos. Todos os discípulos tinham algo em comum: eram transparentes. Enquanto que Judas não era. Isso o corroeu por dentro e com o tempo revelou-se o verdadeiro Judas, um sonso, infiel, traidor da sua própria consciência. Jesus contraria todos os princípios de empreendimento e lógica, convida jovens completamente despreparados
para executarem um grande projeto. Os discípulos podem até ter corrido o risco em segui-lo, mas ele correu riscos muito maiores em escolhê-los.

CONCLUSÃO
Momentos como esse que ocorreu na vida destes quatro homens muda toda uma existência. Você hoje pode estar assim como eles. A rotina te sufoca e você busca socorro. Cristo te convida a mudar, e a vir como estamos Mt. 11.28. A escolha de Jesus não é baseada no que você tem a oferecer, mas no que ele significa para você. A ousadia de Jesus não tem precedentes. Ele prefere você, pequeno, desqualifica a trabalhar com os fariseus saturados. Ele preferiu a pedra bruta à mal lapidada. Ele hoje te convida a arriscar com fé a mudar de vida de hoje em diante.

Pr. Jofre Macnelli é pastor na Igreja Batista Nacional de Vila Maria. Licenciando em História – Universidade Cruzeiro do Sul. Mestre em Ciências da Religião com ênfase em Análise do discurso religioso – FUV (Faculdade Unida de Vitória); Pós-graduado em Docência do Ensino Superior – FTED (Faculdade de Tecnologia Equipe Darwin – Brasília); Pós-graduado em História do Cristianismo Antigo (CEAM – Centro de Estudos Avançados Multidisciplinares. Núcleo de Estudos Clássicos da Faculdade de Filosofia) pela Universidade de Brasília – UnB, graduação em Integralização de Créditos em Teologia pela Universidade Metodista de São Paulo (2009) e Bacharelado em Teologia (Curso livre) – Seminário Teológico Evangélico do Brasil (2006).

 

 

 

logo
home   |   sobre nós   |   artigos   |   galeria   |   download   |   contato
Rua Lavradio, 424 - 01154-020 - Barra Funda - São Paulo - SP - cbnsp@cbnsp.com.br - 11 3662-6000 / 11 3662-0497 / 11 96382-6717
Horário de atendimento ao público: de terça-feira à sexta-feira, das 9h00 às 17h00.
Copyright ©2019 Convenção Batista Nacional do Estado de São Paulo. Todos os direitos reservados. Desenvolvimento: MFC Comunicação.
Topo